sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Douro Azul acusa Menezes de querer deslocar os barcos do cais de Gaia por "perseguição"

A proposta que Luís Filipe Menezes apresentou ontem, de deslocar o porto do cais de Gaia para o Areinho de Oliveira do Douro deixou "perturbado" o dono da Douro Azul, a responsável por grande parte dos serviços de turismo fluvial na região. Mário Ferreira, proprietário e administrador da empresa, considera a decisão do presidente da câmara "prepotente"e queixa-se de "perseguição, no verdadeiro sentido da palavra".


Para Mário Ferreira, a continuidade dos barcos turísticos no cais de Gaia "parece ser um problema pessoal do autarca". "Parece ser um capricho próprio do senhor Filipe Menezes, desde o dia em que não via bem o fogo-de-artifício nas festas do São João".


Numa carta enviada a vários órgãos de comunicação social, o administrador da Douro Azul considera ainda que os planos de Menezes de transferir o fluxo turístico do centro histórico para Oliveira do Douro demonstram a "visão retrógrada e falta de mundo" do presidente da Câmara de Gaia. "Quer agora o senhor autarca retirar o turismo do coração histórico e enviá-lo para os arredores da cidade, onde as vistas serão uma fantástica bomba de gasolina e as roulottes de cachorro quente que ali se juntam durante a noite", ironiza Mário Ferreira, que lembra que estes planos nunca foram discutidos e que Menezes tomou esta decisão "sem nunca ter tido uma conversa com nenhum dos armadores".


No mesmo documento, o administrador da Douro Azul acusa Luís Filipe Menezes de ter "pressionado a Administração dos Portos do Douro e Leixões (APDL) para passar as margens [do rio] para o controlo da Câmara de Gaia", pedido que foi recusado, comenta, "porque prevaleceu o bom senso".


Mário Ferreira acusa ainda o autarca de lhe dirigir "constantes ataques subtis e sem frontalidade". Por isso, o administrador da Douro Azul admite poder vir a sofrer retaliações pelas denúncias que acaba de fazer. "Pronuncio-me consciente das retaliações futuras de que continuarei a ser alvo, mas nunca vítima", adverte Mário Ferreira.


Em resposta à reacção do administrador da Douro Azul, o vice-presidente da Câmara de Gaia, Marco António Costa, esclareceu ontem que os planos de alteração do porto "não visam atacar ninguém". E acrescentou que a reacção de Mário Ferreira "é própria de quem não conhece o projecto da autarquia".


Para o vice-presidente da Câmara de Gaia, as críticas do administrador da Douro Azul são "extemporâneas e despropositadas", porque não está nos planos da autarquia manter o Areinho de Oliveira do Douro isolado do resto da cidade. "Uma das propostas [da Câmara de Gaia] é a criação de um pólo turístico para a zona de Oliveira do Douro, com um centro náutico para barcos-hotéis", argumenta Marco António Costa, que acrescenta que está previsto manter os barcos turísticos mais pequenos a operar no cais de Gaia.


O vice-presidente da câmara explica, assim, que o projecto concebido para Oliveira do Douro visa criar ali uma situação muito semelhante à que existe actualmente no centro histórico. "Vamos fazer para norte o que já fizemos para sul, na marginal marítima", sublinha.



Público

Sem comentários: