sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Norte pode ser o terceiro destino turístico português

"O turismo volta a ser lembrado como um sector importante para o desenvolvimento, nomeadamente do Norte do país. “O Norte tem potencial para ser o terceiro destino turístico nacional”. Uma das ideias chave que saiu de um encontro que se realizou – estamos a falar das Jornadas Municipais sobre o Turismo -, recentemente, no Instituto Empresarial do Minho (IEMinho), em Vila Verde. “Dos 10 produtos considerados estratégicos para o turismo nacional, o Norte tem seis deles”, destaca Melchior Moreira, presidente da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal.

Mas, para que isto aconteça, é preciso proceder a algumas mudanças. Melchior Moreira destaca o papel das autarquias, nomeadamente no redimensionamento de novas formas de intervenção no sector, alertando ainda os empresários para o facto de se estar a vender mal a região. “Não se está a saber vender com qualidade o território e a marca região”, sublinha. E Melchior Moreira continua o seu raciocínio ao afirmar que é “fundamental saber vender a região, os destinos e os produtos”. Uma opinião partilhada por outros dos oradores presentes nestas jornadas. O presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, José Manuel Fernandes, fala na necessidade de o Norte “aproveitar os seus recursos endógenos, usando o turismo para promover o emprego”. O edil alertou ainda para a “falta de equidade na atribuição dos incentivos de apoio ao turismo na região”.

António Marques, a falar pelo IEMinho, mostra o interesse deste instituto em ver estas ideias andarem para a frente. “Estamos a falar numa região relevante, como é o caso do Norte, e numa sub-região do Minho, como é o Cávado, às quais o IEMinho não pode ficar indiferente”.

Internacionalização da região é fundamental

E que mais se pode fazer em nome do turismo nortenho? Ora, Nuno Fazenda, perito coordenador da Agenda Regional de Turismo/CCDRN, fala da “internacionalização da região” como algo de crucial a que se deve juntar ainda uma “aplicação eficaz dos fundos estruturais”. E acrescenta: “Não se pode desenvolver a região assente, apenas, num único destino”. O mesmo se pode dizer em relação aos mercados emissores: estes não podem ser vistos com um único olhar. O mercado, destaca Agostinho Peixoto, do Gabinete de Apoio ao Investidor, Entidade Regional de Turismo Porto e Norte de Portugal, “não é o mesmo”. E isto porque, como explica este especialista, as necessidades e os desejos dos turistas não são os mesmos. “O fenómeno low-cost e as novas tecnologias trouxeram uma nova forma de ver o turismo e, por isso, é fundamental haver um reposicionamento do mercado”, referiu ainda Agostinho Peixoto."


Vida Económica - 19.12.2008

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Espanha passa a permitir concorrência na gestão de aeroportos

"Vai ser inaugurado hoje o primeiro aeroporto privado espanhol."

Enquanto Portugal pretende avançar para um modelo de monopólio privado nos aeroportos, Espanha está a dar os primeiros passos para permitir concorrência interna.

"O investimento para esta infra-estrutura ronda os 1,100 milhões de euros, 400 dos quais foram gastos numa primeira etapa de obras, seguindo-se os restantes milhares de euros, numa segunda etapa."

O Aeroporto de Ciudade Real está a ser construído de forma faseada, racionalizando assim o esforço de investimento. Essa opção, que era apontada como uma das principais vantagens de Alcochete, parece estar a cair no esquecimento. Não devia. Qualquer outra solução (i.e. construção total do aeroporto) implica uma alocação improdutiva de capital e cria custos fixos que tornarão o aeroporto de Lisboa menos competitivo. E consequentemente, a região.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

“Turismo Cultural e Religioso em Braga e Santiago de Compostela” lançado amanhã

“Turismo cultural e religioso em Braga e Santiago de Compostela: proposta de criação de um produto conjunto”, é o título do livro da autoria de Varico da Costa Pereira lançado pela Turel - Turismo Cultural e Religioso em parceria com a Direcção Geral de Turismo da Galiza e a Associação Comercial de Braga. A apresentação oficial desta obra decorre na quarta-feira, dia 17 de Dezembro, no Salão Nobre da Associação Comercial de Braga.O livro foi editado pela Direcção Geral de Turismo da Junta da Galiza e é resultado de uma tese de mestrado de Varico da Costa Pereira, director técnico da Turel, docente da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e doutorando em Geografia pela Universidade de Santiago de Compostela.

Em declarações ao Publituris, Varico da Costa Pereira esclarece que a investigação apresentada é “uma comparação entre o turismo cultural religioso das cidades de Braga e de Santiago de Compostela, que serviu de base para a criação de um produto turístico conjunto entre as instituições galegas e portuguesas”. O responsável explica que o objectivo é explorar a relação histórica e patrimonial entre Braga e Santiago de Compostela, sendo que o produto turístico pode ser comercializado de duas formas: “este roteiro pode ser vendido por si só para mercados proximidade com a duração de três dias, ou então como complementar para mercados internacionais, inlcuindo três dias no roteiro base e extensão a Lisboa, Coimbra ou Fátima”, avança.

Via Publituris

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Porto e Norte de Portugal são cenário de romance alemão

O Porto e o Norte de Portugal foram o cenário escolhido por Paul Grote para o seu mais recente romance criminal, “Der Portwein-Erbe”, em português “O Herdeiro do Vinho do Porto”. O romance conta a misteriosa morte de um tio de Nicollas Hollmann, proprietário de uma herdade nas margens do Douro, levando o jovem arquitecto até à região onde o aguardam momentos de grande tensão.

Paul Grote efectuou recentemente a primeira de 20 sessões de leitura e apresentação da obra, onde explicou os motivos que o levaram redigir um romance criminal sobre a região. Em Berlim, e perante uma plateia composta por 70 pessoas, Grote destacou o imenso valor turístico do Porto e Norte de Portugal e a importância que o sector vinícola assumena economia e cultura da região. Posteriormente, e ao longo de três partes, o autor procedeu à leitura de algumas passagens da obra.

Em comunicado de imprensa a ADETURN Turismo Norte de Portugal explica que se associou a esta iniciativa através da apresentação, no final de cada evento, de material promocional de carácter turístico sobre o Porto e o Norte de Portugal.

Entre os produtos distribuídos, o destaque recai num desdobrável, produzido com o apoio da ADETURN, que proporciona a todos os presentes, e mediante sorteio, a possibilidade de ganharem uma viagem à região do Porto e Norte de Portugal com o autor e com uma equipa de reportagem que vai documentar a viagem. As acções de leitura prolongam-se até ao próximo mês de Março e decorrem em livrarias e garrafeiras de cerca de vinte cidades alemãs.

Para Jorge Osório, presidente da ADETURN Turismo Norte de Portugal, “a escolha da região para palco do romance é sinónimo do excelente trabalho que tem sido efectuado na promoção da marca”. O responsável pela agência de promoção turística da região relembra ainda que “poucas são as cidades e regiões que se podem orgulhar de ser o cenário de eleição de um romance com estas características”.

Via Publituris